quarta-feira, 4 de março de 2015

Conheces o nome escrito no Barco Hospitalar da prefeitura de Tarauacá?


Trata-se realmente do nosso confrade Pe. Hubert Grossheim, CSSp.  Alemão, que  viveu no  município de Tarauacá- Acre,  de 1974 a 2005, concretamente na Paróquia São José.  Os seus restos mortais encontram-se depositados no interior da Igreja Matriz de São José.

veja abaixo os padres que lá passaram.

Tarauacá AC Histórico - dados tirados do diário 
1885 de Belém Pe. Raimundo Fernandez, secular 
1902 de Manaus: Pe. Philasdelpho Macedo, secular 
1909 Pe. Caetano Giordano séc ?? Pe. Constantino Tastevin CSSp ?? Pe. José Maria, CSSp 
1913, 19.3. Pe. José Frisch, ficou, constr uma capelinha
 1936, maio Pe. Jose Bischofsberger, 
1947 Pe. Afonso Kasper 
1956 dez Pe. Guilherme e Pe. Henrique Klein, Capela e casa paroquial 
1956 construção da Igreja São Jose 
1958 Pe. Rudolfo Lenzbach
 1963 Pe. Trindade Agnaldo Pereira, vigário 
1971 casa paroquial atual e casa das irmãs 
1971 Pe. Matthias Leven, CSSp. 
1974 (??) Pe. Hubert Großheim, CSSp. 
1978 ambulatório, escola, oficina, 2 centros sociais e casa das irmãs 
1984 capela Vila Jordão 1985, fev. chegada dos irmãos maristas 
1986 Asilo dos velhos 
1987, abril irmão Jose volta a Alemanha 
1993, 6.9. Santas Missões Redentoristas: Benjamim Menegolla, Henrique Demartini, Dionisio Rockenbach, Henrique Strehl, Paulo Ludiani: ótima participação Copacabana, Igr. Preto, Corcovado, Praia, São Jose 
1994 28.11. Pe. Matthias Provincial dos Espiritanos 
1994 Nov. Igr. NSa Aparecida na Praia 
2005 + Pe. Humberto Grossheim 
2006, + 19.06 Pe. Matthias Leven (*23.07.1930) 
2007, jan: Pes Carloshenrique Schader, CSSp., Joaquim Seifert, CSSp. 
2007, julho Pe. Aymar Golfrand, CSSp.
 2010, jan-dez Pe. Inacio Sangueve, CSSp. 
2011, jan Pe. Sebastião Bonjour, CSSp 

Fonte: diocesecruzeirodosul.org/data/tarauaca_historico

terça-feira, 3 de março de 2015

Comunicado da CNBB sobre as manifestações sociais.

Nesta terça-feira, 3 de março, o arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno Assis, emitiu comunicado por meio do qual esclarece o posicionamento da entidade com relação às manifestações sociais. 

COMUNICADO DA CNBB SOBRE AS MANIFESTAÇÕES SOCIAIS 
Diante de informações divergentes veiculadas em redes sociais a respeito de seu posicionamento quanto às manifestações sociais anunciadas para os dias 13 e 15 do corrente mês, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – sente-se no dever de vir a público para reafirmar que não toma partido em relação às propostas dos responsáveis pela convocação e realização das referidas mobilizações.
A CNBB considera, porém, legítimas as manifestações da sociedade, desde que transcorram em clima de respeito à pessoa humana, aos bens públicos e particulares.

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida – SP
Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB
Fonte:http:http:cnbb.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Jovem famoso pelo seu cartaz na JMJ se converte!



JMJ.coversaoEduardo Campos, o jovem evangélico que surpreendeu todos na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), quando exibiu um cartaz no qual dizia ao Papa Francisco que o amava e lhe pedia que rezasse por ele e pelo Brasil, converteu-se ao catolicismo. No último domingo, festa de Pentecostes, ele recebeu o Batismo e a Primeira Comunhão.
Eduardo tem 19 anos e ficou conhecido em julho de 2013, quando apareceu na televisão com um cartaz que dizia: “Santo Padre, sou evangélico, mas eu te amo!! Ore por mim e pelo Brasil! Tu és Pedro”.
Depois dos intensos dias da JMJ, na qual mais de três milhões de jovens acompanharam o Santo Padre no Rio de Janeiro, Eduardo iniciou seu processo de conversão e, em dezembro, tomou a decisão de converter-se à fé católica.
No domingo passado, quase um ano após a JMJ, o jovem recebeu o Batismo e a Primeira Comunhão, acompanhado dos seus familiares e amigos, na Igreja Nossa Senhora da Conceição, em Santa Cruz (RJ).
Sobre sua conversão, Eduardo conversou com o blog Fabiano Marta Tobias, no qual relata que, durante a JMJ, “O sentimento de felicidade me contagiou! A unidade da Igreja nos revela sua missão, de onde Ela vem e para onde Ela vai e quem Ela é”.
Após comentar que a renúncia de Bento XVI o questionou fortemente, meses antes da JMJ do Rio, o jovem contou que pede a Deus “que Ele me ilumine e mostre minha vocação, seja qual for. Eis-me aqui Senhor, fazei segundo a vossa vontade! Sou um humilde e simples operário na vinha do Senhor”.
Eduardo incentiva os católicos a estudar o Catecismo da Igreja, que “é fundada numa rocha inabalável. Cristo, Seu fundador permanece com Ela até hoje e permanecerá com Ela para sempre!”.

JMJ-2016

Ele também conta que está economizando dinheiro para ir à próxima JMJ, que será em Cracóvia (Polônia) em 2016, e convida os jovens a continuarem “firmes e fortes na Fé Católica. Estudem sempre sobre nossa Igreja. Conheça a vida dos Santos e Santas, dos mártires, dos doutores da Igreja. Conheça mais sobre a Cristandade, sobre as Sagradas Escrituras, sobre a Sagrada Tradição, sobre a Santa Missa. Façam o ide de Jesus que é de ‘fazer discípulos em todas 

Papa envia mensagem sobre a Copa do Mundo.




Queridos amigos,

É com grande alegria que me dirijo a vocês todos, amantes do futebol, por ocasião da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil.
A minha esperança é que, além de festa do esporte, esta Copa do Mundo possa tornar-se a festa da solidariedade entre os povos. Isso supõe, porém, que as competições futebolísticas sejam consideradas por aquilo que no fundo são: um jogo e ao mesmo tempo uma ocasião de diálogo, de compreensão, de enriquecimento humano recíproco. O esporte não é somente uma forma de entretenimento, mas também - e eu diria sobretudo - um instrumento para comunicar valores que promovem o bem da pessoa humana e ajudam na construção de uma sociedade mais pacífica e fraterna. Se, para uma pessoa melhorar, é preciso um “treino” grande e continuado, quanto mais esforço deverá ser investido para alcançar o encontro e a paz entre os indivíduos e entre os povos “melhorados”! É preciso “treinar” tanto…
O futebol pode e deve ser uma escola para a construção de uma “cultura do encontro”, que permita a paz e a harmonia entre os povos. E aqui vem em nossa ajuda uma segunda lição da prática esportiva: aprendamos o que o “fair play” do futebol tem a nos ensinar. Para jogar em equipe é necessário pensar, em primeiro lugar, no bem do grupo, não em si mesmo. Para vencer, é preciso superar o individualismo, o egoísmo, todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana. Não é só no futebol que ser “fominha” constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos “fominhas” na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada.
A última lição do esporte proveitosa para a paz é a honra devida entre os competidores. O segredo da vitória, no campo, mas também na vida, está em saber respeitar o companheiro do meu time, mas também o meu adversário. Ninguém vence sozinho, nem no campo, nem na vida!

Fonte: cnbb.