quarta-feira, 25 de setembro de 2019

“Sair da sacristia”. Artigo de Dom Sérgio Eudardo Castriani, CSSp - Arcebispo de Manaus.


“É impossível para a Igreja ficar calada diante das injustiças e da opressão a que foram submetidos os povos originários da Amazônia. Enquanto não houver um diálogo sincero e vital com estes povos a nossa história estará incompleta, porque ainda não estaremos vivendo a encarnação”, escreve Dom Sérgio Eudardo Castriani, arcebispo de Manaus, em artigo publicado pelo Portal das Comunidades Eclesiais de Base, 16-09-2019.


Artigo na íntegra

A preparação do Sínodo da Amazônia tem dado muito o que falar. O fato da Igreja estar tocando em assuntos que aparentemente não são de sua alçada, tem levado empresários, generais e políticos a se posicionarem contra o fato das Conferências Episcopais estarem falando de mudanças climáticas, desmatamento, poluição das águas e do ar.
Um general chegou a sugerir que se os bispos quiserem os dados sobre o meio ambiente deveriam procurar o governo, que tem instituições competentes para monitorar e implementar medidas eficazes na proteção de nossa biodiversidade e potencial hídrico. Ora, o Papa fez mais que isto ao escrever a “Laudato Si”, chamando os mais renomados cientistas para colaborar, no documento que é o carro chefe deste pontificado e o verdadeiro pai do Sínodo da Amazônia.
Sentindo-se incomodados pela fala dos que foram constituídos protagonistas do processo sinodal, os povos originários, que denunciaram a onda de destruição e morte que os atuais governantes estão impondo à região, apelaram para o velho chavão de que Igreja boa é aquela que fica na sacristia falando de temas espirituais, como se fé e vida não se tocassem. Religião trata de temas espirituais e morais individuais, mas quando o assunto é sério, sobretudo quando entra a razão do mercado, a religião não tem mais nada a dizer?
O cristianismo não é assim. A nossa fé diz que o Verbo de Deus se encarnou, se fez homem e habitou entre nós. Deus entrou na história humana e está comprometido com ela. Podemos dizer que Deus ao se submeter às leis da natureza em Jesus sofre junto com a humanidade a destruição do meio ambiente que afeta todas as criaturas. E, como Paulo, sabemos que os sofrimentos da humanidade completam os sofrimentos de Jesus. Esta é a razão profunda pela qual a Igreja se coloca como voz dos que não têm voz. Não é só a razão de mercado que tem razão. E a razão é que Deus amou tanto o Mundo que enviou seu Filho para salvá-lo. A encarnação tem a finalidade de recriar o mundo.
É impossível para a Igreja ficar calada diante das injustiças e da opressão a que foram submetidos os povos originários da Amazônia. Enquanto não houver um diálogo sincero e vital com estes povos a nossa história estará incompleta, porque ainda não estaremos vivendo a encarnação. A invasão do Continente Americano, a espoliação das suas riquezas, os massacres e os genocídios foram e são até hoje um grande mal-entendido.
Portanto, quando a Igreja se interessa pelas coisas do mundo e pelos apelos humanos que a realidade impõe como sofrimento e dor, sobretudo a dor dos inocentes, o faz por amor ao mundo que Deus criou e redimiu. A sacristia é um lugar de passagem para a liturgia. Uma Igreja de sacristia é sinônimo de uma Igreja voltada sobre si mesma, doente e necessitada de conversão. A liturgia, em função da qual está a sacristia, como celebração do mistério pascal, coloca o Povo de Deus no centro da história que foi o derramamento do sangue da Nova Aliança. E a memória deste sangue derramado não permite a indiferença e a omissão.


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Papa reza diante do túmulo do Beato Jacques Laval, missionário espiritano nas Ilhas Maurícias e "Apóstolo dos negros"


Hoje 9 de Setembro, a família espiritana celebra a vida de Tiago Desiré Laval. O Beato Laval
Durante a sua visita a Ilhas Maurícias o Papa Francisco visitou o Santuário do Beato Jacques Laval, Missionário espiritano e rezou diante do seu túmulo 
 O Santuário fica Localizado dentro da Igreja da Santa Cruz, nos arredores de Port Louis, o atual santuário do Beato Laval é de recente construção. De fato, remonta a 2014, ano em que a Igreja em Maurício celebrou o 150º aniversário da morte de Beato Padre Jacques Laval, conhecido como "o Apóstolo dos negros", pois dedicou-se à evangelização dos nativos de Maurício.
A nova estrutura tornou-se necessária pelo constante aumento do número de peregrinos que se reúnem em oração diante do túmulo de Laval, em particular no dia 9 de setembro, memória de sua morte. Atualmente o prédio pode acomodar 250 pessoas, mais que o dobro da estrutura anterior - que remonta a 1870. Além de ter sido restaurado várias vezes, agora está ligado à nova construção por meio de um corredor com colunas.
Uma teca de vidro protege uma representação em cera do Beato, colocada sobre seu túmulo. Ao alto, há um grande crucifixo. Trata-se, de fato, da reprodução da cruz ao lado da qual o padre Laval concordou, pela primeira e única vez, ser fotografado.
Nas paredes circundantes, estão dispostas inúmeras prateleiras onde é possível colocar flores e velas oferecidas pelos peregrinos.
Uma fonte foi colocada no local onde, até há poucos anos, estava o túmulo do Beato que pesa 4,5 tonelada. A reforma do local teve a colaboração financeira também do governo e de outras religiões. Para o projeto da reforma, a Associação dos Arquitetos de Maurício lançou um concurso, vencido pela Sra. Sylvie de Leusse.

                                                     VIDA E OBRA

Tiago Desiré Laval. O  Beato Laval. Tiago Laval nasceu em Croth, Normandia, França, em 18 de setembro de 1803. Formou-se e exerceu medicina, mas depois sentiu o chamado para ser padre e missionário.
“É verdade. Eu hesitei por muito tempo entre o sacerdócio e a medicina. Escolhi a medicina e agora sei que estava enganado. Deus está me chamando. Esta é minha vocação. Como padre serei uma pessoa mais útil. Eu devo seguir a voz de Deus”

Laval foi ordenado em 1838 e serviu como pároco em Pinterville, uma pequena paróquia de 486 habitantes. Ele adorava crianças e tornou-se um professor de catecismo muito estimado. Em 1841, foi convidado por Libermann a trabalhar junto aos 70 mil escravizados recentemente libertados nas Ilhas Maurícias. Desses, três em cada quatro já tinham sido batizados. Marginalizados, eram tratados como “burros de carga”. Embora sozinho, Laval começou a trabalhar com esta população.
Primeiramente, começou por ensinar àqueles que encontrava a amar a Deus e amar uns aos outros. Depois, começou a preparar alguns para se tornarem catequistas, assim como cuidar dos doentes e dirigir grupos de oração comunitária.

Durante a epidemia de cólera que atingiu o país em 1854, 1857 e 1862, ele construiu vários hospitais. Abriu escolas primárias, construiu várias capelas para a formação espiritual e promove a integração social da população. Leva uma vida austera: usa o cilício, dorme no chão, pratica o jejum e passa noites inteiras em oração.
Laval morreu em 9 de setembro de 1864. Cerca de 40 mil pessoas – metade da população da Ilha – foram para o seu funeral, demonstrando a estima que tinham pela sua obra. Muitos milhares de peregrinos de diferentes etnias e religiões visitam seu túmulo cada ano, cantando: “Não tem santo nos céus como o padre Laval”.
Tiago Laval (1803-1864), Missionário Espiritano, é o pai espiritual da Ilha Maurícia. Foi beatificado em 1979 por João Paulo II. Foi a sua primeira beatificação.


sábado, 24 de agosto de 2019

FELIZ ANIVERSÁRIO PADRE HERIBERTO (Herbert)



Hoje nós espiritanos do grupo do Alto Juruá celebramos o aniversário dos 84 anos de vida do Padre Herbert. Cssp (comumente chamado por Pe. Heriberto).

Saiba um pouco da história daquele que deu e continua a dar sua vida em prol dos mais abandonados.
Padre Herbert Heinrich Matthias Douteil,Cssp nasceu no dia 24.8.1935 em Kempges, em Grefrath / Krefeld- Alemanhã
é o 2º filho do padeiro Paul Douteil e de Christine Douteil Depois dos estudos do primeiro grau nas escolas de Grefrath e Berssel / Harz (1941 – 1946), o liceu em Kempen / Baixa Renânia, (1946-1952) e Menden / Sauerland (1952-1955), vestição no dia 02 de fevereiro de 1954 e exame final do liceu no dia 08.03.1955 em Menden, noviciado (1955-1956) e primeira profissão no dia 7.4.1956 em Heim­bach; estudos de filosofia e teologia no Instituto de estudos superiores da Congregação do Espírito Santo em Knechtsteden (1956 - 1962), ordenação sacerdotal no dia 1.5.1961 por Dom Herman van Elswijk, CSSp., e ato de consagração ao trabalho missionário no dia 19.3.1962 em Knecht­ste­den; em seguida estudo de latim clássico e medieval, de música escolar e científica na Escola Superior de Música e na Universidade de Colônia e de Ciência litúrgica na Universidade de Bonn; licenciatura em música escolar na escola superior de Colônia (1965), em 1968, promoção em musíca científica na universidade de Colônia, defendendo a tese "Studien zu Durantis 'Rationale Divinorum Officiorum' als kir­chen­mu­sika­lischer Quelle"; em seguida até 1979, trabalho científico e de edição de obras da idade médica e de livros de bolso sobre assuntos missionários (bibliografia completa no anexo). -

Até início de agosto de 1979, ajudou na pastoral em várias paróquias ao redor de Colônia, também em Karlstadt / Meno e Süchteln, capelão hospitalar no Hospital de São Vicente em Colônia-Nippes. A partir daí, começou o trabalho missionário na Prelazia do Alto Juruá (atual diocese de Cruzeiro do Sul), de 1980 até 1993, diretor do Seminário Menor e Maior dos espiritanos em Cruzeiro do Sul; ao mesmo tempo (e até hoje) faz trabalho pastoral e social entre os índios katukina, seringueiros e atuais agricultores ao longo dos rios Campinas, Ipixuna, riozinho da Liberdade e entre os colonos do Projeto de Assentamento Dirigido de Sª Luzia /BR 364. Em favor deles foram realizadas ao tudo 96 viagens missionárias de maior duração e construídas 27 capelas e igrejas; Pe. He. ajuda na formação e desenvolvimento do sistema de saúde (farmácia de pobres em Cruzeiro do Sul, „Casa médeor“ em Rodrigues Alves, Clínica Oftal­mológica e Odon­to­ló­gica 'Santa Ma­ria' em Cruzeiro do Sul, cofundador da „Policlínica Cruzeiro do Sul“ no ano de 2001, construção da escola infantil 'São Jorge' em Rodrigues Al­ves, colaborador na Pastoral da Criança nas paróquias de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Guajará e Rodrigues Alves e na área do Projeto Sª Luzia; desde 1.1.2003 projeto/fundação „Menino Jesus de Nazaré“ em prol de crianças especiais e suas famílias em quatro municípios; presidente da diretoria da „Fazenda da Esperança Dom Luís Herbst“ em Mâncio Lima [2.09.2008] para dependentes químicos, fundador do FUNDO HERIBERTO DOUTEIL, administrado pela casa-mãe Espiritana, em Roma, para o bem da missão que os confrades espiritanos realizam junto de crianças e jovens em risco, no continente Africano [outubro 2008])

Pe. Heriberto se destacou com editor de livros com assuntos missionários e manuais de catequese (veja bibliografia em anexo) – De 1980 até 1993, ele formou catequistas no „In­stituto Santa Teresinha“ em Cruzeiro do Sul, de 1994 até 2002, era professor de filosofia e sociologia na faculdade filosófica e teológica do Seminário Maior da diocese de Cruzeiro do Sul. Desde 1990 formou catequistas leigos no PAD Sª Luzia – fundou o "Museu Mis­sio­lógico 'Padre Alberto Urban'" em Cruzeiro do Sul (em janeiro de 2006, aquela parte que contem a coleção arqueológica, antropológica e seringalística, já foi presenteada ao Governo do estado do Acre).

- De 1995 até 2000 era superior da casa distrital em Cruzeiro do Sul – Deste 1. de maio de 2000, grava programas diários de 30 minutos cada no programa de „Ave-Maria“ nas emissoras „Verdes Florestas“ e „Integração“, a partir do dia 01 de janeiro de 2003 dois outros programas diários de 15 minútos cada na emissora „Verdes Florestas“: „Bom dia, meu Pai, bom dia, meu irmão“ (15 minutos de oração de manhã), e „Boa noite, meu Pai, boa noite, meu irmão“ (15 minutos de oração à noite). – De abril até outubro de 2003, gravou, três vezes por semana, programas religiosos de curta duração na emissora „FM Juruá“ –

No dia 8.9.2005 foi nomeado Vigário Geral da diocese de Cruzeiro do Sul para um período de três anos, a fim de „ajudar na administração diocesana, estando em sintonia com o bispo, cuidar da correspondência para os benfeitores da Alemanha, bem como representar a mencionada diocese perante toda e qualquer autoridade e junto aos órgãos da administração pública e privada, conforme o Cânon 475 do Código de Direito Canônico“. – Neste período, para segurar mais as bases financeiras da diocese, foram constuídas 40 casas a serem alugadas e vendidos os lotes restantes da fazenda do antigo Seminário Menor, e para a melhoria da formação do clero diocesano, foi introduzido o propedêutico. No dia 31 de dezembro de 2008, ele entregou o cargo de Vigário Geral por motivo de saúde. De novo nomeado vigário Geral pelo período de 1.1.2011 até 31.12.2012. De 2016 até a presente data o padre Heriberto, acompanha a Fazenda feminina Maria Madalena, Oi projeto menino Jesus e preside as celebrações onde é convidada de modo especial na comunidade Shalom e na capela São Francisco, isto é, no conjunto São Francisco.



sexta-feira, 23 de agosto de 2019

O CARTAZ DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2020 REMETE À FIGURA DE IRMÃ DULCE, QUE SERÁ CANONIZADA NO PRÓXIMO MÊS DE OUTUBRO

“Vida doada é vida santificada”

O cartaz da Campanha da Fraternidade de 2020, cujo tema será “Fraternidade e vida: dom e compromisso” foi aprovado na manhã desta quarta-feira, 21 de agosto. Os bispos reunidos no Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília (DF) também deliberaram sobre o texto-base e as propostas para a letra do hino da campanha.
A arte foi elaborada pelo designer da Edições CNBB Leonardo Cardoso, sob a supervisão do bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da CNBB, Dom Joel Portella Amado, e do secretário executivo de campanhas, Padre Patriky Samuel Batista.
O cartaz remete à figura de irmã Dulce, que será canonizada no próximo mês de outubro. E também apresenta, ao fundo o Pelourinho, lugar icônico da capital baiana. Padre Patrky explica que a mensagem é de “vida doada é vida santificada. A vida é um intercâmbio de cuidado”.
“Por isso que a irmã Dulce cuida. E seu modo de cuidar sinaliza uma Igreja em saída. Então é cuidar das pessoas que estão próximas a nós. Onde estou é lugar de cuidado da pessoa, do mundo, da ecologia. Depois, o cenário faz menção à questão do mundo urbano. Amar é fazer o bem! Daí a beleza do cartaz, que está sintonizado com as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no que diz respeito ao pilar da caridade”, explicou.
Padre Patriky também apresentou aos bispos o texto-base da CF 2020, que está estruturado como de costume com um diferencial, que é a centralidade da Palavra de Deus: “Perceberemos em cada capítulo do texto que a Palavra de Deus ocupa um lugar de primazia, nos ajudando a viver o tempo quaresmal – ‘viu, sentiu compaixão e cuidou dele’”, explicou lembrando do lema relacionado à passagem bíblica do bom samaritano.
Os bispos deram sugestões de acréscimos e ajustes ao texto-base com destaque às propostas de que o material tenha opções de roteiros que favoreçam a espiritualidade quaresmal dentro da reflexão tema da CF. Segundo padre Patriky, a indicação está dentro da perspectiva bíblica, “para fecundar o caminho para a vivência espiritual da Quaresma, uma vivência quaresmal de fato que possa converter o coração para transformar também a realidade, é um modo de viver a Quaresma”.
O hino
O assessor do Setor Música Litúrgica da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB, o jesuíta irmão Fernando Vieira, entregou aos bispos as cinco letras escolhidas por um grupo de peritos a partir das 31 sugestões recebidas por meio de concurso. Após a avaliação dos bispos, será realizada a segunda fase da seleção, neste caso, da música do hino.
A perspectiva do trabalho
Ainda foram apresentadas perspectivas do trabalho da CF para os próximos anos, que constará do resgate da história, da relação dos Papas com as Campanhas da Fraternidade, levantamento de materiais, encontros com as coordenações diocesanos de pastoral e a visibilidade de projetos financiados pelo Fundo Nacional de Solidariedade


Fonte: https://portalkairos.